Credenciamento para orientadores

1 A decisão sobre o credenciamento ou recredenciamento de um orientador será deliberada pela CPG após encaminhamento pela CCP, circunstanciado na excelência de sua produção científica, tecnológica e na coordenação e/ou participação em projetos de pesquisa financiados, conforme critérios mínimos especificados neste regulamento.

2 O número máximo de orientados por orientador é 10 (dez). Adicionalmente, cada orientador poderá coorientar até 3 (três) alunos.

3 Os credenciamentos poderão ser plenos ou específicos. Credenciamentos específicos são para orientar um determinado aluno.

4 O credenciamento pleno de orientadores terá validade de 5 (cinco) anos.

5 Para credenciamento ou recredenciamento, o solicitante deverá encaminhar pedido formal circunstanciado à CCP indicando objetivamente suas qualificações para atuar ou continuar atuando junto ao programa. Deverá anexar ao pedido o currículo Lattes atualizado ou Curriculum Vitae (no caso de candidatos estrangeiros ainda sem Currículo Lattes) atualizado e os endereços eletrônicos de cadastro no ResearchID e ORCID.

 

6 Credenciamento Pleno de Orientadores

O(a) solicitante deve apresentar:

-Linha de Pesquisa definida;

– Condições laboratoriais adequadas para o desenvolvimento do trabalho incluindo participação direta ou indireta em projetos de pesquisa financiados;

– Publicação regular na sua área de atuação em periódicos de circulação internacional indexados pelo ISI, que demonstre competência e liderança em sua área de atuação. Desta forma, o Orientador deverá comprovar no mínimo 4 artigos em 5 anos com fator de impacto igual ou superior a 2,0 (dois), nos quais figure como primeiro ou último autor;

– Orientação prévia de estudantes de iniciação científica ou de pós-graduação em nível de mestrado e/ou doutorado.

 

7 Recredenciamento de Orientadores

7.1 Para o recredenciamento pleno, o docente deverá cumprir com os mesmos requisitos mínimos de credenciamento especificados no item X.6 e ainda serão levados em consideração os seguintes quesitos:

  1. a) O orientador deverá ter ministrado disciplinas no Programa de pós-graduação em Ciências Morfofuncionais ou Biologia Celular e Tecidual ou Biologia de Sistemas, pelo menos uma vez em dois anos durante o último período de credenciamento;
  2. b) a evasão de alunos (de egressos sem titulação) no período do último credenciamento será considerada e as justificativas para a evasão serão analisadas;
  3. c) Contribuído em comissões examinadoras de qualificação, dissertações e teses;
  4. d) Completado alguma orientação no período de cinco anos ou ter em andamento a orientação de pelo menos um estudante;
  5. e) Artigos científicos publicados em parceria com pós-graduandos do Programa.

 

8 Credenciamento Específico de Orientadores

8.1 O primeiro credenciamento será preferencialmente específico.

8.2 O(a) solicitante deve apresentar:

-Linha de pesquisa definida, de interesse do Programa e que seja inovadora;

– Publicação regular na sua área de atuação em periódicos de circulação internacional indexados pelo ISI, que demonstre competência e liderança em sua área de atuação. Desta forma, o Orientador deverá comprovar no mínimo 4 artigos em 5 anos com fator de impacto igual ou superior a 2,0 (dois), nos quais figure como primeiro ou último autor;

– Condições laboratoriais adequadas para o desenvolvimento do trabalho incluindo participação direta ou indireta em projetos de pesquisa financiados;

– o projeto de pesquisa a ser desenvolvido pelo aluno.

 

9 Credenciamento de Coorientadores

9.1 O prazo para o credenciamento de coorientador no curso de mestrado será de 24 meses.

9.2 O prazo para o credenciamento de coorientador no curso de doutorado será de 43 meses.

9.3 O prazo para o credenciamento de coorientador no curso de doutorado direto será de 52 meses.

9.4 Para credenciamento de coorientadores, será utilizado o mesmo critério mínimo de produção científica de credenciamento de orientadores especificado no item X.6. Além disso, deverá ser apresentada justificativa circunstanciada evidenciando a complementariedade da atuação do coorientador, em relação ao orientador, no projeto de pesquisa do estudante.

 

10 Orientadores Externos

10.1 Preferencialmente, colaboradores externos à Unidade deverão ter credenciamento específico, e seguir os critérios do item X.8.

10.2 Nos pedidos referentes ao credenciamento de orientadores externos à USP, deverão ser observados ainda os seguintes aspectos:

  1. Justificativa circunstanciada do solicitante quanto à contribuição inovadora do projeto para o programa de pós-graduação;
  2. Identificação do vínculo do interessado, mencionando a vigência do programa e linha de pesquisa;
  3. Demonstrar a existência de infraestrutura (física, material e/ou de equipamento);
  4. Demonstrar a existência de recursos para financiamento do projeto proposto para orientação do pós-graduando;
  5. Curriculum vitae do interessado devendo constar, caso se aplique, as orientações concluídas e em andamento na USP e fora dela;
  6. Demonstrar a situação funcional e o vínculo institucional do interessado (caso o interessado não comprove vínculo institucional estável o período de permanência na instituição da USP deverá ser de pelo menos 75% do prazo máximo para o depósito da dissertação ou tese).